Pacientes assintomáticos podem transmitir coronavírus

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que 80% das pessoas infectadas pela Covid-19 não apresentam sintomas. Apesar de a doença ser transmitida, na sua maior parte, por pacientes doentes, estudos indicam que assintomáticos podem também, em menor proporção, contaminar outras pessoas ao seu redor. Mesmo sendo mais raro, a transmissão pode ocorrer entre pessoas que não apresentam sinais e sintomas.

O coronavírus pode ser disseminado de várias formas diferentes, desde um aperto de mão até o contato com superfícies contaminadas. Por isso, a importância de lavar bem as mãos com água e sabão, sempre que possível, e sempre, ao sair de casa, usar máscara de proteção. Pessoas infectadas, de preferência, devem usar a máscara até mesmo em casa.

De acordo com a Coordenadora de Vigilância em Saúde de São Gonçalo do Amarante, Kylvia Gardênia, a Secretaria de Saúde do município está atenta a esses casos e, na tentativa de evitar a disseminação do vírus, está testando todos os profissionais que atuam na linha de frente, apresentando ou não sintomas. Ao todo serão testados cerca de 600 profissionais de saúde. “A Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo do Amarante decidiu testar os funcionários da Atenção Básica e da Rede de Urgência e Emergência, que estão trabalhando com o objetivo de cuidar de quem está cuidado da população, além de garantir aos munícipes, segurança no seu atendimento”, informou.

A coordenadora destaca a importância das medidas de prevenção para evitar o contágio e faz um alerta importante: “Não dá para saber quem está infectado com o coronavírus. Algumas pessoas não apresentam nenhum sinal ou apenas um ou dois sintomas. Muitos podem não apresentar os sintomas da Covid-19 e acabar infectando outras pessoas. Por isso é importante o uso de máscaras e seguir todas as orientações e recomendações da saúde, ficando em casa e cumprindo o distanciamento e isolamento social”, alerta.

Ainda não existe vacina contra a Covid-19. Por isso, a prevenção ainda é a principal arma no enfrentamento à doença. 

 

 

 

Top