Prefeito de São Gonçalo do Amarante faz balanço dos 7 primeiros anos de gestão

  

O prefeito de São Gonçalo do Amarante, Cláudio Pinho (PDT), fez um balanço dos 7 primeiros anos de gestão (2013-2019), no último dia 6, em evento na sede do município.

Na prestação de contas, ele apresentará os principais indicadores e realizações nas áreas da saúde, educação, economia, ações sociais, cultura, lazer, esportes, dentre outras, às lideranças políticas locais e aos moradores de cada um dos oito distritos gonçalenses. No total, foram 66 obras construídas, bem como 22 reformas realizadas em equipamentos, tais como escolas, creches, unidades de saúde, “areninhas”, praças e vias públicas. Outras sete obras ou reformas estão em fase inicial ou em andamento.

EDUCAÇÃO –  Cerca de 25% de suas unidades de ensino reconhecidas como Escolas Nota 10 pela Secretaria de Educação do Estado do Ceará e tem índices gerais de aproveitamento de 61,25% em matemática e de 74,87% em escrita na Avaliação Nacional de Alfabetização. Os resultados estão acima das médias cearense, nordestina e brasileira

SAÚDE – Atendimentos médicos de urgência e emergência com crescimento de 120,2%. Com a implantação de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que atende 24 horas por dia.

ASSISTÊNCIA SOCIAL – Programas do Cartão de Proteção Social, como o Vale-Gás e o Vale-Alimentação beneficiando mais de 2 mil famílias e geraram impacto de R$ 2 milhões na economia do município, por ano, nesse período, através do Fundo Municipal de Combate à Pobreza.

 

 

"De Ponta a Ponta"

Além de apresentar esses números, Cláudio Pinho destacará os principais avanços no projeto “São Gonçalo de Ponta a Ponta”, que tem orçamento previsto de R$ 23 milhões em obras de infraestrutura e urbanismo.

Segundo o prefeito, “o principal objetivo do programa é aproximar a população, dar melhor acessibilidade às pessoas que precisam se locomover dentro da nossa cidade”. Ele cita o exemplo de uma obra realizada, em parceria com o governo do Estado, que reduziu em 10 km o deslocamento entre a sede do município e o distrito do Siupé.

“Nós assumimos, então, o compromisso de encurtar distâncias dentro do município. Naturalmente, você não pode pegar o mapa da cidade e dobrar para botar o Pecém do lado do Salgado dos Moreiras, mas você pode dar acessibilidade às populações dessas duas regiões”, defende o gestor.

 

Com informações da Assessoria de Comunicação – Asscom.

Top