Vigilância Sanitária orienta sobre medidas de combate ao coronavírus com a retomada das atividades econômicas

Com o início da retomada das atividades econômicas em São Gonçalo do Amarante neste mês de julho, o Governo Municipal, através do ComVida e da Vigilância Sanitária, está visitando alguns estabelecimentos que já estão funcionando no município, para alertar sobre a necessidade de continuar adotando medidas de proteção contra o novo coronavírus. 

São Gonçalo já está na segunda fase de retomada das atividades. 

A Secretária de Saúde e Coordenadora do ComVida, Mabel Girão, ressalta que a população deve sair de casa somente para o essencial, além de respeitar o distanciamento social, sempre usar máscaras de proteção e cumprir as normas de higiene pessoal. 

“Os cuidados devem continuar neste momento em que alguns estabelecimentos voltaram a funcionar. As pessoas precisam continuar atentas as orientações para evitar a disseminação do coronavírus, como evitar cumprimentar as pessoas com contato físico, evitar tocar a boca, nariz e olhos com as mãos sujas e sair de casa somente se for necessário”, explica Mabel Girão. 

Segundo a Coordenadora de Vigilância em Saúde de São Gonçalo do Amarante, Kylvia Gardênia Torres, a principal orientação é que a pessoa permaneça no estabelecimento o menor tempo possível, além de manter a distância mínima de dois metros das outras pessoas e higienizar as mãos ao entrar e sair dos locais. 

Kylvia ressalta ainda sobre a importância do uso correto da máscara de proteção. “A máscara deve ficar ajustada ao rosto cobrindo totalmente a boca e o nariz, não devendo ser retirada para tossir, espirrar ou falar. É importante trocar de máscara uma ou duas vezes por dia”, disse. 

Para garantir o funcionamento das atividades liberadas, é necessário ainda o cumprimento de diversas medidas de proteção:

· Evitar aglomerações dentro dos estabelecimentos, se necessário, utilizando-se do espaço externo com formação de filas, respeitando-se a distância mínima de 2 metros entre as pessoas;

· Disponibilizar para clientes e funcionários produtos de higienização e desinfecção (ex. Álcool em gel 70%);

· Manter o local higienizado e desinfectado;

· Adaptar o ambiente de trabalho de forma que as pessoas fiquem a pelo menos 2 metros de distância entre elas;

· Manter os ambientes com ventilação natural (portas e janelas abertas), sempre que possível.

 

 

Receita cai cerca de 11% em São Gonçalo do Amarante decorrente da pandemia do coronavírus

A análise do desempenho da receita de São Gonçalo do Amarante apresentou queda de R$ 17 milhões no primeiro semestre de 2020, durante a pandemia do coronavírus. A estimativa de perda total é de cerca de R$ 35 milhões na receita do município, até dezembro de 2020. É o que aponta estudo de previsão feito pelo Governo Municipal, por meio da Secretaria de Finanças de São Gonçalo do Amarante, sobre os efeitos da pandemia na arrecadação municipal.

O Secretário de Finanças, Fernando Damasceno, sinalizou que houve queda de receita, após o levantamento realizado pela equipe econômica do município, queda de R$ 17 milhões, somente no período de janeiro a junho, durante a pandemia, em relação a meta de arrecadação estimada para aquele período.

“Após analisar o isolamento social, provocado pela pandemia da Covid-19, o que provocou o fechamento de importantes setores da indústria do comércio e de serviços, com fortes reflexos na atividade econômica do nosso Estado e consequentemente do nosso município. Já identificamos queda de R$ 17 milhões neste período em relação a nossa meta de arrecadação estimada para janeiro a junho passado, cuja estimativa de perdas total, até 31 de dezembro de 2020, é de R$ 35 milhões, correspondendo aproximadamente a 11% da Receita Corrente Líquida (RCL), prevista para 2020, podendo ser maior ou menor, dependendo do ritmo da retomada da economia até o final do ano”, detalhou Damasceno.

De acordo com o secretário, a receita de São Gonçalo do Amarante deve ser avaliada de uma forma diferenciada dos demais municípios cearenses. “Temos a segunda maior arrecadação de ISS do Estado e o terceiro índice de participação na arrecadação do ICMS Estadual, mas, ficamos na trigésima oitava colocação, na lista dos valores recebidos pelos municípios, a título de repasse do Governo Federal, pelos critérios inseridos no Programa de Enfrentamento ao Coronavírus, estabelecido pela Lei Complementar nº 173, de 27 de maio de 2020”.

Para Damasceno, o valor do programa para SGA, estimado em pouco mais de R$ 4 milhões, mal dará para cobrir as perdas com o FPM e demais componentes da receita oriunda do Governo Federal. Nos casos em que a receita está concentrada nos impostos sobre o consumo, como é o caso do município de São Gonçalo do Amarante, a probabilidade de perda de receita com a crise é bem maior. “Apenas a receita oriunda do ISS e do ICMS, e os demais tributos de competência municipal que compõem a receita própria, respondem por 63% da RCL/2020. Deve ser observado que esses impostos incidem sobre o consumo, cuja atividade está bastante afetada com a crise da pandemia”, explicou.

Perda

Fernando Damasceno explicou que, para se ter um comparativo do que representa a estimativa da perda de 35 milhões na receita de São Gonçalo do Amarante, esse montante equivale, separadamente, a 50,4% do orçamento da Saúde, 60% dos recursos do FUNDEB, quatro vezes o orçamento da Secretaria do Trabalho e Ação Social, mais de três meses da folha de pagamento do Poder Executivo e, tratando-se dos investimentos em obras, está previsto um gasto de recursos próprios do município no valor de 32,4 milhões para o exercício de 2020. “Portanto, se comparado com qualquer uma dessas ações do governo para o exercício em curso, conclui-se que é um déficit significativo de dinheiro público em pouco espaço de tempo”, enfatizou Damasceno.

Para o secretário, o momento é de muita cautela, muito controle nos gastos e de muito trabalho no que diz respeito ao acompanhamento do desdobramento dessa crise.

Apesar das adversidades econômicas e dos impactos em decorrência do cenário pandêmico, o Secretário Damasceno destaca que a Gestão do Prefeito Cláudio Pinho tem apresentado excelentes resultados de liquidez fiscal na sua administração financeira. “Desde o exercício de 2013, a Gestão tem adotado uma postura planejada e equilibrada, apresentando certo ‘conforto financeiro’ capaz de absorver, mesmo que momentaneamente, a queda de receita, impactando consequentemente na redução do custeio. Neste momento, estamos estudando uma forma de manter a eficiência financeira, para que o município não sofra processos de descontinuidades em áreas estratégicas, principalmente os investimentos que estão em andamento em São Gonçalo do Amarante, bem como a manutenção dos gastos com a saúde, educação, apoio social a população e os salários dos servidores municipais”, finalizou o secretário.

Profissionais da Saúde alertam para o reaparecimento de sintomas em pacientes recuperados da Covid-19

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) lançou uma nota técnica no último dia 7 de julho de 2020, alertando os profissionais da saúde do Ceará para a recorrência de quadro clínico de pacientes com sintomas da Covid-19, após a recuperação.

A orientação, caso uma pessoa recuperada sinta novamente os sintomas da doença, é para que o teste seja feito.

Segundo a Coordenadora de Vigilância em Saúde de São Gonçalo do Amarante, Kylvia Gardênia Torres, os estudos são um alerta para os serviços de Saúde. “O tempo médio entre os primeiros sintomas e o retorno deles, foi de 56 dias aproximadamente. Os estudos ainda necessitam de investigação detalhada, mas servem como alerta para permanecermos vigilantes pós-alta e pós-recuperação, recomendando a observação dos pacientes por um período mais prolongado”, avalia.

De acordo com a nota da Sesa, não existe confirmação de reinfecção humana com o coronavírus. Porém, há relatos de pessoas que retornaram a ter sintomas após a cura, acompanhados de detecção viral em exames laboratoriais, ou seja, exame de swab positivo.

No Ceará, já foram registrados nove casos, somente no mês de junho, que se enquadram nos critérios de Recorrência da Covid-19 e todos eram profissionais de saúde.

A nota recomenda ainda que os profissionais de saúde que, independente do resultado de testes, os pacientes com Covid-19 precisam ser observados e acompanhados, mesmo após a resolução do quadro clínico.

Veja a nota da Sesa na íntegra: https://bit.ly/2Oabi4p

São Gonçalo do Amarante é pioneiro em teleconsulta especializada com paciente gestante com hepatite viral

O município de São Gonçalo do Amarante foi pioneiro na modalidade de atendimento à distância, para garantir a assistência pré-natal de qualidade, para pacientes em período gestacional, com diagnóstico de hepatite viral, mesmo durante a pandemia do novo coronavírus.

Neste mês de julho, a Secretaria Municipal de Saúde realiza a campanha de conscientização sobre Hepatites Virais. É o Julho Amarelo. Este ano a campanha acontece através das mídias sociais para evitar aglomerações.

A equipe do Programa Saúde da Família, da Unidade Básica de Saúde (UBS) da localidade de Passagem, na Sede, realizou o primeiro teleatendimento com uma especialista em hepatologia do ambulatório de Hepatites do Hospital São José.

A gestante, de iniciais M.L.T.S, de 28 anos, moradora de São Gonçalo do Amarante, está no último mês de gestação, com 38 semanas de gravidez e vem sendo acompanhada por uma equipe do PSF na localidade de Passagem.

A iniciativa foi possível graças a uma parceria entre a Atenção Primária de São Gonçalo do Amarante (UBS Passagem), Vigilância em Saúde (Setor de IST/AIDS e Hepatites Virais) e o Hospital São José (Ambulatório de Hepatites Virais).

De acordo com a coordenadora do Setor de IST/AIDS e Hepatites Virais do município, Régia Moreira, essa modalidade começou a funcionar por conta da pandemia, para não deixar os pacientes sem atendimento. Segundo a coordenadora, o teleatendimento conjunto especializado, foi um sucesso. “Os profissionais da UBS Passagem, Dr. Luciano e Enfermeira Marina, além das profissionais do Hospital São José, Dra. Elodie e Enfermeira Lívia, atenderam conjuntamente a gestante M.L.T.S, com resultados satisfatórios. A paciente irá receber a imunoglobulina na hora do parto, o bebê será vacinado e poderá ser amamentado normalmente. O Setor de Imunização, através da Enfermeira Josiane, providenciou a imunoglobulina que já se encontra disponível no Hospital Municipal para que tudo ocorra em segurança para a gestante e o bebê”, informou Régia Moreira.

A iniciativa foi bastante elogiada por especialistas do Estado do Ceará, que viram como um grande avanço na assistência ao pré-natal de gestantes portadoras de hepatite B nas Unidades Básicas de Saúde de São Gonçalo do Amarante.

Durante a gestação, a hepatite B pode ser um risco a mais, tanto para a mãe como para o bebê, além dos perigos de infecção na hora do parto. Para evitar esses riscos, a vacina contra a hepatite B antes de engravidar, ou a partir do segundo trimestre da gestação é fundamental.

Sub-categorias

Top